A morte do cavalo

Meu namorado sonhou comigo. Pela manhã o diálogo foi mais ou menos assim:

 – Sonhei com você. – ele ainda sonolento

– É? O quê?

– Sonhei que nós morávamos em um barracão.

– Sério?

– E que você tinha matado meu cachorro e meu cavalo.

– Hã?!

– É, você matou meu cavalo

– Mas nós não temos cachorro, e muito menos cavalo!

– …

– E por que nós estávamos morando num barracão?

– Não sei, só sei que sua mãe e sua tia estavam lá.

– Fazendo o quê?

– Argumentando.

– Argumentando como?

– Sobre o que tinha acontecido.

– Ainda bem que eu não matei você né?

 

Vou para o banheiro. Volto.

 

– Poxa, precisava matar meu cavalo?

– Mas e o cachorro?

– Ah, o cachorro também, – visivelmente chateado – mas o cavalo…a carcaça dele ficou lá, no chão.