Coincidências ou como a cultura pop é foda!

O que o Impressionismo, a banda The Smiths e o filme Ferris Bueller’s Day Off têm em comum?

O Impressionismo é um movimento artístico que surgiu na França no século XIX. Os artistas impressionistas pintavam ao ar livre utilizando pinceladas soltas enfatizando a luz e o movimento. Esses artistas foram revolucionários pois conseguiram captar, através de sua arte, as transformações sociais ocorridas no final do século XIX, transformações essas que deram inicio à Modernidade.

Nas últimas semanas tenho juntado muitos materiais referentes a esse movimento e uma das pinturas me chamou a atenção. O nome da tela é “Tarde de Domingo na Ilha de Grande Jatte” pintada por Georges Seurat em 1884.

Georges_Seurat_-_Un_dimanche_après-midi_à_l'Île_de_la_Grande_Jatte

 

Assim que vi o quadro me lembrei do filme do Ferris Bueller, mais especificamente a cena do museu (o Art Institute of Chicago). Essa é a cena mais doce do filme e é quando o perturbado Cameron fica hipnotizado pela menina de branco no centro da tela.

Mas a sucessão de coincidências não para por aí. A música, linda, que toca durante a cena é uma versão instrumental de Please, Please, Please, Let Me Get What I Want dos Smiths.

Não acredita? Confere aqui na voz maravilhosa do Morrissey:

Sou fã do filme (daqueles que já o assistiram um zilhão de vezes) e, mesmo estando na categoria Sessão da Tarde, sempre o considerei excelente. Quanto aos Smiths, eles fizeram parte da minha adolescência. Lembro de ficar horas no meu quarto ouvindo suas músicas, cinco, dez, quinze vezes seguidas. A junção dessas duas manifestações artísticas com algo tão inovador, como foi o Impressionismo para sua época só me faz ter certeza de quão rica pode ser a cultura pop, quando bem utilizada.